Notícias

Família doa órgãos de jovem assassinada em Chapecó e salva oito vidas

"É o que está me deixando em paz", disse o pai; polícia investiga a morte de Sabrina Thomazi, de 21 anos

Família doa órgãos de jovem assassinada em Chapecó e salva oito vidas
Foto: Sabrina foi atingida por um tiro na cabeça no último sábado (20), e não resistiu(Foto: Reprodução/Redes sociais)

A doação dos órgãos de Sabrina Thomazi, de 21 anos, vai salvar oito vidas. A família da jovem, assassinada a tiros em Chapecó, autorizou a retirada do coração, globos oculares, fígado, rins e pâncreas. O procedimento foi feito no Hospital Regional do Oeste, na própria cidade em que ocorreu o crime, e o pai relatou sentimento de "paz" em entrevista à NSC TV.

— O momento de receber a notícia é muito triste. Eu posso parecer forte, mas por dentro estou destruído. A doação é o que está me deixando em paz hoje. Me explicaram que o coração dela ia salvar uma vida e continuar batendo, isso me deixou muito feliz — contou o pai da jovem, Diego Thomazi.

A doação, como de praxe, teve de ser autorizada pelos familiares. Esse trabalho é feito por uma equipe especializada na captação de órgãos para potenciais doadores em Santa Catarina. 

— É um ato muito nobre dele e da esposa. Vai melhorar a qualidade de vida de muitas famílias envolvidas nisso — conta Jussara de Lima, coordenadora da Comissão Hospitalar de Transplante do hospital.

O crime

Sabrina estava no banco do carona do carro que o namorado dirigia, com mais três pessoas no banco de trás. Quando passavam pela Rua Denilde Maria Copetti, no bairro Dom Gerônimo, outro veículo se aproximou e foram feitos oito disparos contra o carro em que ela estava. 

Um deles acertou a cabeça da jovem.

Ela foi socorrida com vida e levada ao hospital, mas não resistiu ao ferimento e morreu nessa terça-feira (23). O namorado de Sabrina foi atingido na barriga e na perna por tiros, mas não corre risco de morrer. Não há informações sobre o estado de saúde dos outros ocupantes do carro.

— Nós perdemos uma filha de 21 anos, uma menina. Onde ela passava espalhava alegria — complementou o pai.

A Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar o caso, e busca imagens de câmeras de segurança que possam ter flagrado o crime. Uma testemunha já chegou a ser ouvida.

Tire suas dúvidas 

O que é a doação de órgãos?

É o ato de permitir que uma ou mais partes do corpo (órgãos ou tecidos), em condições de serem aproveitadas para transplante, sejam retiradas de um paciente após sua morte para que possam ajudar outras pessoas. No caso dos órgãos, o transplante precisa ser feito horas após o falecimento para que seu funcionamento no receptor não seja inviabilizado. Em alguns casos, a doação também pode ser feita em vida.​

Como ser doador?

O ideal é manifestar a vontade de doar e informá-la à família. Não adianta deixar o desejo expresso por escrito nem um registro, mesmo gravado em vídeo ou declarado em uma rede social, por exemplo. A decisão final é dos familiares: são eles que definirão se e quais órgãos e tecidos serão doados. Por isso, é fundamental que os doadores deixem seu desejo claro para os parentes.

Quando a doação é possível?

Não é qualquer tipo de morte que viabiliza a doação. Para que os órgãos possam ser transplantados, é preciso que sejam retirados enquanto o coração ainda bate artificialmente - o que só é possível em casos de morte encefálica, quando todas as funções do cérebro param de maneira completa e irreversível. Essa é a definição legal de morte. 

Quando cessam todas as funções neurológicas, o organismo é mantido vivo com a ajuda de aparelhos. Como ainda há uma pulsação e o corpo ainda está quente, há dificuldade de os familiares entenderem que aquela pessoa não vai voltar. E a negativa familiar diante de situações como essa é a principal causa que impede a doação de órgãos. 

É por isso que, apesar do grande número geral de mortes, a quantidade de possíveis doadores, especialmente de órgãos, é baixa.

Quais os critérios para a doação de órgãos?

Há critérios de seleção destinados a impedir que órgãos pouco saudáveis sejam utilizados em transplantes. A idade não costuma ser um deles: crianças e idosos podem ser doadores, assim como qualquer pessoa que tenha tido a morte encefálica confirmada. 

Mas a causa da morte e o tipo sanguíneo do doador, entre outros fatores, ajudam a definir quais partes de um corpo poderão ajudar outras pessoas. No Brasil, só há restrição absoluta à doação de órgãos por parte de pessoas com aids, com doenças infecciosas ativas e com câncer. No entanto, indivíduos com alguma doença transmissível podem doar para pacientes que tenham o mesmo vírus, como no caso das hepatites.

Quem pode ser doador?

Qualquer pessoa que sofreu morte encefálica e, no caso da doação de córneas, parada cardíaca. Fatores como idade e condição física influenciam na possibilidade de doar ou não. Também é possível ser doador em vida de rim, medula óssea e parte do fígado ou do pulmão para um familiar. 

A Lei dos Transplantes determina que só pode ser doador vivo o cônjuge ou a pessoa com até o quarto grau de parentesco com o paciente. Nos demais casos, é necessária autorização judicial, exceto na doação de medula óssea. Só é permitida a doação em vida de órgãos duplos ou de partes de órgãos, tecidos ou partes do corpo cuja retirada não comprometa o doador.

Quem recebe o órgão doado?

Os pacientes que estão na fila, controlada pela Central de Transplantes do Estado. Além da posição na lista, pesa a compatibilidade entre doador e receptor. Caso não haja receptores no Estado, podem ser buscados pacientes em outras regiões.

Quem é responsável pelo processo de doação de órgãos?

A Central de Transplantes desloca equipes para realizar as operações.

Quando ocorre a morte encefálica?

Em geral, a morte cerebral se dá por traumatismo craniano, acidente vascular cerebral (AVC), alguns tumores e por hipoxemia, a falta de oxigênio no sangue.

O que acontece com o doador?

Depois de a família autorizar a doação dos órgãos, o corpo passa por uma coleta de sangue. São verificadas as condições de saúde do doador, incluindo se ele tem HIV, hepatites B e C, sífilis, doença de Chagas, citomegalovírus e toxoplasmose, entre outros. Se os exames apontarem condições boas para a doação, inicia-se a cirurgia de retirada dos órgãos e/ou tecidos. 

O procedimento dura algumas horas. 

Caso a morte tenha decorrido de causa não natural, como vítimas de violência, o corpo segue para o Instituto Médico Legal (IML) e é submetido a uma necropsia. Antes, porém, a polícia pode concordar ou não com a retirada de órgãos.

Após a doação de órgãos, o corpo fica deformado?

Esse é um dos mitos sobre a doação. Após a cirurgia, a equipe médica recompõe o corpo do doador, que não deve ficar deformado, permitindo que a família providencie um velório tradicional, se for esse seu desejo. O objetivo da equipe médica é liberar o corpo em até 12 horas, mas esse tempo pode variar.

Como ser doador de medula?

- Vá a um hemocentro ou unidade de coleta de sangue. Em Santa Catarina, há opções em Florianópolis, Lages, Criciúma, Joinville, Joaçaba, Chapecó, Tubarão, Jaraguá do Sul, Canoinhas e Blumenau.

- Há também coletas externas. Confira endereços e calendário no site do Hemosc.

- O voluntário assina um termo de consentimento, preenche um cadastro e retira uma pequena quantidade de sangue para ter as características genéticas analisadas em laboratório.

- Os dados vão para o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome).

- Quando houver um paciente compatível você será consultado para decidir quanto à doação. Por isso, mantenha os dados atualizados.

  • Após novos exames, o doador é considerado apto. O que mais dificulta é a compatibilidade, as chances de o paciente encontrar um doador são de 1 em cada 100 mil pessoas, em média.

 

Fonte: DC

 

----------------------

Envie sua sugestão de conteúdo para a redação:
Whatsapp Business PORTAL SMO NOTÍCIAS (49) 9.9979-0446 / (49) 3621-4806

Cotações

Dólar Americano/Real Brasileiro

R$ 5,65

Dólar Americano/Real Brasileiro Turismo

R$ 5,99

Dólar Canadense/Real Brasileiro

R$ 4,40

Libra Esterlina/Real Brasileiro

R$ 7,49

Peso Argentino/Real Brasileiro

R$ 0,06

Bitcoin/Real Brasileiro

R$ 304,27

Litecoin/Real Brasileiro

R$ 1.058,81

Euro/Real Brasileiro

R$ 6,40

Clima

Sexta
Máxima 31º - Mínima 15º
Céu limpo

Sábado
Máxima 32º - Mínima 17º
Períodos nublados

Domingo
Máxima 32º - Mínima 20º
Céu nublado

Segunda
Máxima 30º - Mínima 18º
Períodos nublados

Terça
Máxima 28º - Mínima 16º
Céu limpo